O Movimento Líderes do Brasil, que tem a maioria de jovens empreendedores como fundadores, está a todo vapor e pretende se instalar em todos os estados. Com um ano de suas atividades completados no dia 9 de agosto, o movimento mostra aos diversos Brasis que veio para ficar e construir uma história que alavancará pra valer o micro e pequeno empresário de nosso país, inclusive ajudando na relação efetiva entre os pequenos empresários dos 26 Estados e o do Distrito Federal com o poder constituído.

 

O MLB pretende mostrar que a classe tem vez, voz e poder para levar suas reivindicações aos palácios de nosso país, bem como ser ouvida pelos grandes empresários, representados por banqueiros, industriais, grandes construtoras, importadores e exportadores de nossa nação. “São os micro, pequenos e médios empresários que empregam a maioria da população, por isso estamos unidos, pois desta forma fortaleceremos cada um que optou pelo empreendedorismo, independentemente do tamanho de seu capital, pois acreditamos que o potencial da economia brasileira pode mais!”, disse Luiz Felipe Daher, presidente do MLB, em entrevista exclusiva para o Cristal Pesquisas. Veja abaixo a íntegra da entrevista.

INVESTIMENTO DE R$ 1 BILHÃO PARA OS PEQUENOS EMPRESÁRIOS

 

Questionado pela reportagem sobre o investimento anunciado pelo presidente  referente a uma linha de crédito para micro e pequenos empreendedores na ordem de R$ 1 bilhão até o final de seu governo, cuja expectativa é atender 150 mil empreendedores de todo o país, Felipe respondeu de forma entusiasmada: “Acredito firmemente que o Brasil agora caminhando para um novo rumo e  de forma estratégica fomentando políticas públicas para o micro e pequeno empresário.”

 

JUVENTUDE ACREDITA FIRMEMENTE NO EMPREENDEDORISMO!

Referente ao pouco tempo de criação do MLB e ao alcance nacional do movimento, o jovem líder empresarial, administrador de empresas nascido em Brasília explicou: “Antigamente a única preocupação de nossa juventude era fazer um curso superior para prestar concurso público.  O mundo nos impõe novos desafios e com o incentivo do arrojado presidente Bolsonaro nos organizamos e fomos à luta. Começamos com um grupo apenas de dez microempresários de Brasília.
 Logo conquistamos por meio de muito trabalho o apoio de empresários da Região do Entorno de Brasília, que de acordo com o nosso governador Ibaneis Rocha, que apoiamos de forma firme no pleito de 2018, breve teremos a Região Metropolitana de Brasília, o que será fundamental para a nossa ampliação”. Disse.

 O empresário brasiliense faz pausa para tomar um copo d’água e continua seus argumentos de jovem otimista: “Foi o momento em que conquistamos empresários jovens de Águas Lindas, Valparaíso, Luziânia, Formosa e Planaltina de Goiás, todos com a certeza de que o foco é ganhar dinheiro de forma honesta e ajudar o Brasil a crescer. Voltando ao nosso querido governador Ibaneis, ele tem um compromisso conosco, inclusive no que se refere à criação de uma secretaria com a finalidade de incrementar o empreendedorismo. Estamos na expectativa de que ele nos convide para tratar do assunto a qualquer momento”, disse Luiz Felipe, cutucando o número 1 do Palácio do Buriti.

 

Mais explicações sobre o mesmo tema do líder empresarial: “Com o Entorno de Brasília fortalecido, fomos para Fortaleza e Bahia, quando tivemos a adesão entusiasmada dos pequenos empresários nordestinos. Em seguida partimos para o interior de São Paulo e consolidamos o MLB no principal estado da federação e já passamos dos cem empresários. Temos um objetivo fundamental, ou seja, fortalecer os nossos pares, pois juntos teremos voz, vez e poder de negociação com os governos e o grande empresariado nacional”, argumentou o brasiliense de apenas 28 anos.

 

 

Perguntamos ao jovem empreendedor, proprietário de uma startup na área de tecnologia e sócio de duas faculdades em Brasília, quais são os critérios para adesão dos empresários ao projeto do Movimento Líderes do Brasil. Sem pestanejar ele respondeu: “O nosso projeto é qualitativo e não nos interessa tão e somente a quantidade de empresários.

E mais, exigimos competência efetiva e destreza para se posicionar no mercado, tempo para participar de nossas reuniões, presenciais ou em conferências via internet, demonstrar interesse de crescer por meio das estratégias usadas pelas suas empresas, além de ter que passar pelo nosso crivo de lealdade, integridade e honestidade, entre outras exigências comuns no meio empresarial”, afirmou de forma didática e convicta.

 

PERFIL DAS EMPRESAS DO MOVIMENTO LÍDERES DO BRASIL

O presidente do MLB deu detalhes de como se associar e o perfil de pequenas empresas que fazem parte do projeto: “Em qualquer associação comercial é exigido o pagamento mensal de uma taxa para manutenção da instituição. Na nossa não é diferente e pagamos mensalmente uma contribuição simbólica. É importante ressaltar que os mais variados perfis de pequenas empresas já estão junto conosco, tais como: startups na área de tecnologia, mercado financeiro; indústria criativa; faculdades em diversos cursos; institutos de línguas estrangeiras; empresas de acessórios no mundo da moda; salões de beleza; bares; restaurantes; academias de ginástica, entre outros.

 

RELAÇÃO DOS JOVENS EMPRESÁRIOS COM O PODER

 

 

Quanto à relação com o poder, Luiz Felipe detalhou: “Nas últimas eleições, quando ocorreram renovações efetivas em todos os estados da federação, o brasileiro mostrou claro que estamos participando com maior atenção do processo político, ao tempo em que nos conscientizamos de que a política é fundamental para a melhoria da vida de cada um de nós, quando o coletivo é beneficiado de forma séria pelos governantes.

 

Por isso, o MLB se insere neste contexto, por meio de articulações no Congresso Nacional e também com o Poder Executivo e Judiciário em todos as instâncias.  Procuramos sempre fortalecer a relação de nossos associados com as referidas instituições. Neste sentido, temos uma relação estreita com o senador da República Izalci Lucas, do PSDB, que tem facilitado a nossa relação nem só no Congresso Nacional, mas nos poderes já referidos.

 

Como sou de Brasília, a nossa relação no Parlamento Distrital se dá por meio dos deputados distritais João Cardoso (AVANTE), Agaciel Maia (PR) e o presidente Rafael Prudente do MDB. Finalizo dizendo o seguinte – a população nunca assumiu responsabilidades com a administração pública como a partir da eleição de 2018, onde os movimentos sociais tiveram maior importância. Agora o povo sabe que o voto vale mais que o emprego e que temos o poder de cobrar, fiscalizar e nos tornar protagonistas de um processo em que sempre fomos coadjuvantes”, concluiu Luiz Felipe Daher.

por Walter Brito

Pin It on Pinterest

Share This